Home / Nacional / Pesquisa CNT/MDA: Lula lidera, Bolsonaro cresce e Moro cai

Pesquisa CNT/MDA: Lula lidera, Bolsonaro cresce e Moro cai

Pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte) em parceria com o Instituto MDA divulgada hoje aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança para a disputa eleitoral deste ano para a Presidência. Ele aparece com 42,2% das intenções de voto, à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL), que ficou com 28%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em relação à pesquisa anterior, divulgada em dezembro, Lula oscilou 0,6 ponto percentual para baixo (portanto, dentro da margem de erro) — na ocasião ele aparecia com 42,8% na pesquisa de intenção de voto estimulada, quando o nome dos candidatos é apresentado ao entrevistado. Já Bolsonaro cresceu 2,4 pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, quando aparecia com 25,6%. A diferença entre os dois, que era de 17,2 pontos percentuais, agora é de 14,2.

Em terceiro lugar aparece o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 6,7%, tecnicamente empatado com o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) com 6,4%. Ciro oscilou 1,8 ponto percentual para cima, em relação ao levantamento anterior, quando tinha 4,9% das intenções de voto; já Moro caiu 2,5 pontos percentuais — em dezembro ele tinha 8,9%

Na sequência, aparecem o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 1,8% das intenções de voto, mesmo índice da pesquisa anterior; o deputado federal André Janones (Avante), com 1,5%; a senadora Simone Tebet (MDB), com 0,6%; Felipe D’Ávila (Novo) e o senador Rodrigo Pacheco (PSD), com 0,3% cada. Todos estão tecnicamente empatados, conforme a margem de erro.

Brancos e nulos somam 6,2%, e não sabem, 6%

O levantamento foi realizado de 16 a 19 de fevereiro, com 2.002 entrevistas em 137 municípios de 25 estados, e o nível de confiança é de 95%. Contratada pela CNT, a pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o protocolo BR-09751/2022.

Primeiro turno (intenção de voto estimulada):

Lula (PT): 42,2%

Bolsonaro (PL): 28%

Ciro (PDT): 6,7%

Moro (Podemos): 6,4%

Doria (PSDB): 1,8%

Janones (Avante): 1,5%

Tebet (MDB): 0,6%

D’Ávila: 0,3%

Pacheco: 0,3%

Brancos/nulos: 6,2%

Indecisos: 6%.

Lula e Bolsonaro crescem na pesquisa espontânea.

O petista e o atual mandatário cresceram na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados.

Em dezembro, 30,1% dos entrevistados responderam o nome de Lula quando questionados em quem pretendiam votar para presidente nas próximas eleições. Agora, este percentual subiu para 32,8%. Já 24,4% citaram o nome de Bolsonaro — em dezembro eram 20,1%.

Ciro e Moro oscilaram positivamente em relação ao levantamento anterior — o pedetista de 1,9% para 2,6% e o ex-juiz de 1,9% para 2,1%.

Janones aparece com 0,5%, mas não há comparação com a pesquisa anterior. Já Doria oscilou para baixo — de 0,7% para 0,3%. Outros somam 1,1%, brancos e nulos 7,9%, e indecisos são 28,3%.

Primeiro turno (intenção de voto espontânea)

Lula (PT): 32,8%

Bolsonaro (PL): 24,4%

Ciro (PDT): 2,6%

Moro (Podemos): 2,1%

Janones (Avante): 0,5%

Doria (PSDB): 0,3%

Outros: 1,1%

Brancos/nulos: 7,9%

Indecisos: 28,3%.

Segundo turno.

De acordo com a pesquisa, Lula vence todos os cenários de segundo turno simulados —a menor vantagem é contra Bolsonaro (17,9 pontos percentuais de vantagem), e a maior, contra Doria (38,2 pontos).

Em uma simulação de segundo turno contra Bolsonaro, o petista venceria por 53,2% a 35,3% — na pesquisa anterior ele tinha 52,7% contra 31,4% do atual mandatário. Lula oscilou para cima, mas dentro da margem de erro, enquanto Bolsonaro cresceu.

Já Bolsonaro ficaria empatado tecnicamente com Ciro e Moro, dentro da margem de erro, e venceria Doria.

Veja abaixo as simulações de segundo turno:

Lula x Bolsonaro: 53,2% a 35,3% Ciro x Bolsonaro: 41,9% a 37,9% Bolsonaro x Moro: 35,6% a 34% Bolsonaro x Doria: 41,1% a 29,8% Lula x Moro: 52,2% a 29,2% Lula x Doria: 54,9% a 16,7%.

O Instituto MDA, de Lavras (MG), foi fundado em 1988. Em 2012, tornou-se parceiro da CNT (Confederação Nacional do Transporte) e passou a realizar somente a pedido da confederação levantamentos sobre intenções de votos.

Segundo o próprio instituto, uma ou outra entrevista desses levantamentos pode ter sido realizada em pontos de grande fluxo de pessoas para garantir que o perfil do eleitorado esteja corretamente representado na pesquisa. Essa metodologia de entrevistas pessoais em residências segue como a principal do MDA.

Fonte: UOL

Sobre Adeilson

x

Check Also

Sérgio Meneguelli é destituído da disputa pelo Senado, deve disputar ALES

O ex-prefeito de Colatina Sérgio Meneguelli não vai mais disputar a única vaga pro Senado ...

Sem poder de negociação Rigoni desiste da disputa ao Palácio Anchieta

O deputado federal Felipe Rigoni tinha uma missão quase impossível, que se tornou de fato ...

As dificuldades nas costuras da política capixaba

Os bastidores da política capixaba se mostra tenebroso para algumas lideranças que estão se aventurando ...